Surf Trip – Ilhabela

Ilhabela é a maior ilha marítima do Brasil com quase 350 km2 de floresta pura e faz parte da Ilha de São Sebastião.

Toda sua mata está preservada e tombada como Parque Nacional de Ilhabela. A Ilha tem nada menos do que 400 cachoeiras, vários picos e 150 km de orla, entre lindas praias e costões indescritíveis. De um lado o mar presta-se para banhos tranqüilos. Do outro, dá para o mar aberto e em boa parte só acessível por barco.

Praia de Castelhanos:

Localizada a leste de Ilha Bela , com acesso somente feito de 4×4 (off-road) ou barco, tem uma extensão de aproximadamente 1.500 mts, onde se localiza uma lagoa de águas cristalinas. Cerca de 15 famílias de pescadores habitam o local.
Boas ondas quebram no Beach Break com swell de Leste variando de 2 a 7 pés. Em Castelhanos existe um acesso para a Cachoeira do Gato com uma caminhada de 40 minutos, até onde se desvenda no meio da mata uma queda d’água de 50 mts de altura.

Praia do Bonete

Localizada ao sul de Ilha Bela, acesso somente realizado por trilha, onde se caminha por cerca de 3 horas ou de barco. É a maior colônia de pescadores isolada do município com cerca de 60 famílias. Tem aproximadamente 1.000 mts de extensão, com rios e cachoeiras. Ondas cavadas e perfeitas quebram com swell de Sul/Sudeste variando de 2 a 10 pés. É possível alugar casas de pescadores para passar finais de semana ou férias.

Pacuiba:

Pequena praia localizada no norte da Ilha, logo após a Ponta das canas. Quando entra um bom swell, bem definido de Leste ou Nordeste quebram ondas de até 4 pés. Vale a pena conferir a diversão é garantida. Na Ilha existem alguns picos de surf, ainda considerados secret points. São ondas sem crowd com difícil acesso, em frente a costões com esquerdas perfeitas em cima de uma bancada de pedras.

Ilhabela tem cenários ocultos e histórias de piratas e naufrágios. Suas grandes dimensões geraram alguns contrastes na maior ilha marítima brasileira. A Ilha Bela é um dos pontos turísticos mais visitados do litoral paulista, mas, ainda assim, oculta praias desertas e comunidades de pescadores isoladas, como a do Bonete.

Vizinha da cidade de São Sebastião, a ilha tem 43 praias, As voltadas para o canal, no mar de dentro ‘ têm águas mansas, e as oceânicas apresentam muitas ondas. Não bastasse, a Ilha Bela tem mais de 300 cachoeiras e catorze montanhas com altitudes que variam de 600 a 1,3 mil metros. Tudo isso intacto entre os dois maiores centros urbanos do país – São Paulo e Rio de Janeiro.

Ilha bela, na verdade, é o nome popular da Ilha de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo, que, faz parte do arquipélago também chamado São Sebastião, composto por nove ilhas, algumas ilhotas e as lajes da Garoupa e do Carvão.
Como 85% dos 346 quilômetros quadrados da ilha são protegidos por um parque estadual, ela possui hoje um dos mais bem preservados bolsões de Mata Atlântica de São Paulo. Entre muitas espécies, as florestas da ilha abrigam até um animal endêmico, o cururuá, um roedor arbóreo, peludo e cheio de espinhos, que canta para se comunicar com seus companheiros.

Descoberta por Américo Vespúcio em 1502, a ilha viveu durante a colonização portuguesa ciclos de produção de café e cana-de-açúcar. Alguns dos engenhos de açúcar e cachaça ainda testemunham a arquitetura colonial dessa época, que também registrou a presença de muitos piratas. Dois dos lugares mais especiais da Ilha Bela, a Baía de Castelhanos e o Saco do Sombrio, serviram durante os séculos 16 e 17 como refúgios secretos para navios de contrabandistas de escravos e corsários, Um deles, o inglês Thomas Cavendísh, fez fama no Brasil ao incendiar e saquear a cidade de Santos, em 1592. Segundo uma teoria, ele acabou enforcado na ilha por seus próprios marujos, que se amotinaram e não mais foram embora dali, os caiçaras de olhos azuis que vivem hoje na Ilha Bela seriam todos descendentes deles.
Muitos naufrágios fazem ainda da ilha um festejado ponto de mergulho. Há mais de cinqüenta navios submersos ali, o mais famoso é o transatlântico Príncipe de Astúrias, que afundou durante uma noite de tempestade e muita neblina na região da Ponta da Pirabura.

Em 20 de janeiro de 1502, o espanhol Américo Vespúcio navegou pela primeira vez pelas águas do canal, batizando a ilha de São Sebastião. Depois disso, portugueses e ingleses aportaram em suas praias. Até os piratas fazem parte de sua história, contribuindo com suas lendas e mistérios.

Segundo relatos do inglês Anthony Knivet, o pirata britânico Thomas Cavendish (1555 – 1592) teria enterrado, nas areias da Praia dos Castelhanos, um fabuloso tesouro, roubado da Vila de São Vicente, no natal de 1591.

Três séculos depois, em 03 de Setembro de 1805, a ilha se emancipou politicamente, recebendo o nome de Villa Bella da Princesa. Não a Isabel, mas da Princesa da Beira, membro da corte portuguesa.

Por volta da metade do século XIX, sua economia baseou-se no plantio de cana-de-açucar, e as grandes fazendas proliferaram por suas terras férteis. Lembranças desse tempo estão no Engenho Dàgua, que fica na praia homônima, onde até hoje produz-se aguardente de cana. Ainda nessa época, a proibição do tráfico negreiro fez da ilha, com sua localização estratégica, o local ideal para desembarque de escravos contrabandeados.

INFORMAÇÕES:

População: Aproximadamente 20.000 habitantes
DDD: 12
Altitude: 4 metros
Distâncias principais:
São Paulo – 230 km
Rio de Janeiro – 350 km
Belo Horizonte – 700 km
Caraguatatuba – 35 km

SERVIÇOS

Melhores picos para a prática de Vela, Windsurf e Kite Surf :

Ponta das Canas, Pinto, Ponta Azeda, Armação, Engenho d’ Água e Perequê.

Boas para banho e mergulho:

Praia do Sino e Siriuba ao norte da ilha, ao sul estão as de: Curral, Veloso, Taubaté, Itapecirica, Borrifos, Ilhote, Pequeá, Itaquanduba.

Balsas

Até as balsas que levam os turistas à ilha não causam tantos problemas. Hoje, partem em intervalos de 30 minutos no máximo. As filas são poucas e raras, e até é possível reservar lugar para a travessia marcando hora com o Dersa Tel.0800-555510

Cachoeiras:

Ilhabela tem aproximadamente 360, destacamos aqui:

Toca: é particular e fica na estrada de terra que leva à Praia dos Castelhanos.

Tocas: praia de Perequê. É formada por várias quedas d’água que alimentam piscinas naturais de até 3m de profundidade.

Água Branca: Fica no caminho para Catelhanos, tem trilhas demarcadas e quatro quedas. Uma das quedas em meio à mata, forma um lago natural.

Cachoeira do Gato: fica a 40 minutos de caminhada da praia dos Castelhanos. Considerada a mais bela de todas.

Do Poço e Jabaquara: acesso por barco, mais 5 minutos de caminhada na areia.

Laje: fica no extremo sul da ilha, a 40 minutos a pé da estrada

Confira algumas fotos da Ilhabela:

BonetePerfeição na IlhaVisual alucinanteCastelhanosMapa da Ilha

Autor: Redação Camerasurf

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: